domingo, 1 de fevereiro de 2009

A volta de Clara

Fone no ouvido
Roupa folgada, calça escura e blusa da mesma cor
Nunca foi muito ligada em moda e nisso de se maquiar
Mesmo com a insistência de sua mãe para se embelezar
Sai de casa, são quase cinco horas da tarde
E vai caminhando pela rua
Começa a olhar as pessoas que passam ao seu redor
Algumas rindo e ela se pergunta qual será o motivo dessa alegria
Será mesmos que está feliz
Algumas com a cara fechada e ela tenta adivinhar seus pensamentos
Alguns casais jovens, mas ela olha e não vê amor entre eles
Apesar de andarem segurando as mãos, parecem estar distantes um do outro
Alguns casais com uma idade um pouco mais avançada
Esses sim, ela vê amor nos seus olhos
E em pensamento ela se pergunta, será que terei a sorte de encontrar um amor assim
Volta o olhar para um cachorro que caminha com ar triste e desolado, parece está faminto, parece está imerso na sua própria solidão
Com seu sanduíche que acabou de morder, Clara joga o pedaço de pão para o pequeno animal
O cachorro devora tão rápido a comida, mas mesmos parecendo não ter sido saciada sua fome, ele abana o rabinho e coloca a língua pra fora, demonstrando está feliz
Clara sorri
Mas esse sorriso é diferente de muitos que ela já deu, esse ela sente realmente uma alegria
Esse sorriso é verdadeiro
O cachorrinho então se vai, e ela continua a sua caminhada
Imersa em seu pensamentos
Imersa em seu próprio mundo
Imersa em sua agonias e aflições
Imersa em seu momentos de alegria
Enfim chega ao seu destino
O lugar onde ela sempre gosta de ir
Porque sente a paz que tanto procura
O mar azul a sua frente parece chamar por ela
Mas antes de ir em frente, tira seu tênis
Quer sentir a areia nos pés
Então ela caminha
E a cada passo que vai dando, ela se sente melhor
"Estou onde me sinto segura, estou onde nada nem ninguém me atinge...estou no meu paraíso..."
Ao chegar num certo ponto, ela resolve sentar
Desliga o seu mp4, pois agora ela só quer ouvir o barulho das ondas
Olha para o mar, sentindo a brisa no rosto e o cheiro da maresia
Clara sorri
Não entende muito bem o motivo daquele sorriso
Mas sabe que é sincero
Sabe que realmente está feliz
E fica horas assim, só ela e o mar
Só ela e a sua alegria
Só ela sem nenhum tipo de vazio ou dor
Só ela sentido está curada
Mas sabe que terá que ir embora
A vida não é só alegria, erros também fazem parte...dor também
E tudo isso é para fazer você crescer
Tudo isso é para tornar você forte
Mas Clara não se sente forte, não se sente parte desse mundo
Acha que não conseguirá ser um deles
É a estranha, como muitos a rotulam
Fecha os olhos e respira como para tentar achar forças através do ar que entram em seus pulmões
" Hora de voltar a realidade...Hora de tentar ser o que todos que querem que eu seja...Hora de fingir..."
Levanta e parte mais uma vez para a vida que ela não queria...

9 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Acredite que sua semana vai ser muito feliz,
que todos os dias o céu tem uma nova cor
e que o Universo conspira a seu favor,
sempre que você assim o quiser.
Assim que seus olhos avistarem o sol pela manhã
lembre-se que este novo dia está por ser escrito
e pode ser sempre um dia feliz,
se você se permitir assim...

tico litlle disse...

nao exite nada q um banho de mar nao cure

Suelyn Morais disse...

Tudo se realiza em seu tempo certo!

beijooooO

LaLa! disse...

Poxa os seus textos sempre são os melhores...

=D

saudades

bjos

manzas disse...

Descobri…
Um banco do jardim
Que me segredou
Em poesia…
Aromas que aqui
Encontrou
De paz
E de harmonia...

É bom aqui...estar.

O eterno abraço…

-Manzas-

willaa disse...

Que lindo Caroline!

T disse...

cada coisa em seu lugar,
pra que sofrer com antecedência?
beijo

D.Ramírez disse...

sempre procuramos nos encontrar, e nao percebemos q somos oq somos..
incrivel isso, mas ate ai voltar a atuar, nao concordo. Devemo sempre ser, agradando ou nao os outros. eu pelo menos sou assim. gostem quem gostar;)

Besos

manzas disse...

Lá fora chove o calado momento
Que repassa na alma, ansiedades…
Saltam inquietas chamas de dentro
Do meu peito, alagadas saudades

Um fim-de-semana ensopado
De paz e harmonia…
De coração ornamentado
De muita alegria

O eterno abraço…

-Manzas-